Poesias - Notícias - Politicagem - Comportamento - Cultura - Sexualidade - Assuntos Sérios - Bobagens Necessárias - e Tudo Mais Que Eu ou Vocês Queiramos Falar - Tudo isso abordado com discontração e irreverência, às vezes de modo requintado e às vezes com linguagem totalmente escrachada. Participem das discussões, proponham assuntos pra novos posts, e não façam cerimônia, porque aqui a gente fala Do Que Quiser Falar .

sábado, 31 de julho de 2010

Casos de família

Por Alane Reis
Sobre mistérios da genética e as observações intercósmicas da minha avó.


Não caro leitor, você não entrou no site do SBT e caiu por acaso na página do programa cultural e construtivo Casos de Família, eu apenas pedi o meu título emprestado a colega Christina Rocha (apresentadora do programa), porque as peripécias relatadas nesse texto assemelham - se com a temática trabalhada pela também jornalista Chirs Rocha.

A história é de Nmachi, nascida no sul de Londres a pouco mais de uma semana, um bebê de cabelos loiros e olhos azuis, comum como tantas outras crianças inglesas, fosse o detalhe, seus pais Dad Ben e Angela, são um casal nigeriano, que já tinham dois filhos negros, mudaram - se há 5 anos do país africano e garantem não possuir nenhuma ascedência branca. As explicações racionais que explicariam a cor da menina foram descartadas, um exame de DNA comprovou a paternidade de Ben, o caso não se trata de albinismo, e na árvore genealógica da família não existe nenhum parente da cor branca.

Nmachi segue para sua segunda semana de vida, sendo hoje o maior desafio nos estudos mundiais sobre genética. Esse caso fez com que eu lembrasse da minha avó, ela tinha o hábito de me contar histórias, eu adorava ouvir, mesmo sem acreditar em todas, certa vez a velha falou que em uma dessas suas andanças pelo mundo conheceu uma família, onde todo mundo era negro, pai, mãe, irmãos, avós apenas uma menina era loira, cabelos lisos e olhos claros, custei a acreditar na dona Tereza, mas ainda lembro das palavras dela "Ooh Nana é certo que filho de urubu nasce branco, mas essa daí Deus esqueceu de dar a cor quando foi crescendo, tadinha, hoje é diferente da família", minha avó deve tá lá no céu rindo da neta descrente, que ousou a duvidar da história dela, e acompanha o noticiário interessada a espera da explicação de meia dúzia de cientistas, perdão minha avó, talvez a Nmachi que um dia me contaste também seja verdadeira.

Alguém por aí conta outra, verdadeira ou não!?

10 comentários:

Sócrates Júnior (koka) disse...

putss... :D que dahora isso, agora quem vai dizer alguma coisaa ?? poisé a vida é isso e nos ensina que cor é só pra dawtonicos

J.R. disse...

Gostei bastante do seu post. Esse é um assunto muito triste na nossa sociedade dos dias de hoje e de sempre....infelizmente ainda há muita segregação pelo mundo. Quando isto acabar aí teremos um mundo melhor de verdade! Abraço.

Dih disse...

Pocha... Sim mais uma vez a mae natureza nos mostrando que todos somos iguais.. nao importando a cor...

Paulo Dionísio disse...

Nossa! Adorei. Que coisa hahahaha. Muito boa a notícia. Beijos.

jaka disse...

Isso é mais bizarro que bebé de duas cabeças... Agora so falta o menino ser chamado de anticristo.

SoterO disse...

- Tudo é possível para a genética. Os dois tinham esse gene e acabou ocorrendo. Muito boa a notícia. Pena que com a desigualdade do mundo, as pessoas possam não entender esse caso. ''/

Belo post.

abçs
___
http://nolimitedamatematica.blogspot.com/

Nicelle Almeida disse...

A genética prega mais uma de suas peças. Quem viver ainda verá muitos, muitos outros casos que deixarão os cientistas loucos. Somos todos iguais e ponto final.

Ótimo post!!!

Beijos e uma semana maravilhosa pra vc =)

www.nicellealmeida.blogspot.com

http://doquequiserfalar.blogspot.com/ disse...

Pois é, também achei que a natureza usou de suas peças pra nos provar que Isso distinções de cor, sim... Isso sim é bizarro.

Natacha Domingues disse...

Nane...Tive uma vizinha negra, em uma cidade no interior de MG aonde morei, com a pele escuríssima...(mas ela tinha cabelos lisos), e casou com um negro.
Engravidou e foi mãe de um garotinho com a pele branquíssima,olhos azuis e loirinho.
A cidade inteira "apedrejou" a moça, ela era chingada no meio da rua...um absurdo. O marido saiu de casa e penso que a cidade só tinha um assunto para falar... A sogra dela era a pior,chingava o garoto e ela, só faltava bater!Fez teste de DNA...o menino era MESMO do marido.Acontece.
Depois a sogra e o marido só faltava "lamber"' ela para reatar a relação, mas ela não quis.

http://doquequiserfalar.blogspot.com/ disse...

Casos da gente, essa nossa ciência, mesquinha e capitalistaé pequena demais pra entender.